O Veneno das Emoções Negativas

Imagina que estás com sede e alguém que conheces bem e em quem confias, te oferece um copo com uma bebida desconhecida. Aceitarias ou não? Aproveitarias a oportunidade? Provavelmente sim, até porque essa pessoa merece a tua confiança. Agora supõe que descobres que essa bebida não é mais que um veneno que provoca tristeza, angústia, preocupação ou medo. Aceitarias na mesma? Talvez estejas a pensar que esta pergunta não faz sentido, porque ninguém no seu perfeito juízo a iria aceitar.

Há, na verdade, um conjunto de sensações negativas que nos são transmitidas por outras pessoas todos os dias. Ainda que o saibamos continuamos a permitir que isso aconteça. Muitas vezes temos dificuldade em identificar quais as pessoas que nos oferecem copos com veneno e como tal continuamos a bebê-lo sem o saber.

 

Coloca a ti mesmo estas questões:

Quem são as pessoas que te rodeiam?

Contribuem para a tua felicidade?

Permites que influenciem a tua vida, as tuas decisões?

Que pessoas é que não sentirias falta se desaparecessem da tua vida neste momento?

 

Saber escolher o lugar de cada pessoa nas nossas vidas é fundamental. Nem todas as pessoas têm para nós a mesma importância nem o mesmo valor. E nem sempre as pessoas a quem damos importância têm valor. E pessoas de imenso valor são por nós colocadas de parte porque nos desafiam ou nos obrigam a pensar ou a agir.

Reserva algum tempo a identificar as pessoas que se cruzam contigo. Pensa na tua vida pessoal e profissional, nos grupos que frequentas, nas tuas rotinas. Reflete quem são aqueles cuja opinião mexe com a tua auto-estima. Pode ser alguém mais óbvio, como um colega ou um conhecido, mas também poderá ser a pessoa que te serve o café toda as manhãs na pastelaria do costume. Começa a definir os limites de influência que essas pessoas têm na tua vida.

Não te esqueças que foste TU quem permitiu que essas pessoas tivessem a influência que têm. Logo também TU podes decidir RETIRAR ou REFORÇAR essa importância.

 

Quem devo manter por perto?

Cria a tua guarda de honra. Para os identificares, aproxima-te daqueles que sorriem de forma natural, que te cumprimentam de forma sincera, que partilham de interesses comuns, que tenham histórias de vida curiosas, que não falem mal de outros, que vivam de forma apaixonada, que tenham objetivos estimulantes, que sejam positivos e optimistas, que sejam sinceros. No fundo pessoas que gostem de viver e que irradiem essa energia.

Faz-te rodear de muito perto das pessoas que ajudam e que te fazem sentir bem, que te desafiam, que puxam pelo teu potencial. Pessoas que te dizem o que precisas de ouvir. Pessoas que fazem as perguntas que ninguém faz. Pessoas que amas e que te amam incondicionalmente. Estas são as pessoas chave da tua vida. Os teus pilares. São aqueles que não cultivam uma dependência doentia, mas sim estimulam a tua liberdade.

Num segundo patamar coloca outras pessoas com quem podes conviver mas que não te influenciam. São pessoas que conheces, com quem trabalhas. Podem ser pessoas de quem gostas mas que têm um papel secundário na tua vida. Cerca de 90% das pessoas que conheces estarão neste lugar.

Finalmente identifica todos aqueles que te oferecem o tal veneno das emoções negativas. São pessoas que não te fazem falta e que deves simplesmente eliminar da tua vida. Não te afetam e mesmo que tenhas de lidar com elas, a sua opinião é irrelevante.

Por fim, aceita o lugar que os outros reservam para ti. Eu, por exemplo, sei bem que faço parte da guarda de honra de algumas pessoas, e que sou completamente ignorado por outros. É assim que é e que deve continuar a ser.

Mas há um esforço que faço diariamente… o de não beber nem oferecer veneno a ninguém.

 

O teu Coach,

David Nascimento

 

 

Deixe um comentário